terça-feira, 2 de agosto de 2011

No balanço







No balanço do cotidiano, em que as pessoas cruzam nossos caminhos e que as palavras e os pensamentos são trocados e a vida ensina como uma escola todos os dias é muito difícil manter os olhos ingenuos sob nossas ações. Complicado digerir esse turbilhão de sentimentos. É preciso fazer escolhas e cuidar todo o tempo, muitas vezes é preciso balançar devagar e refletir dobre o caminhar. 
Não atropelar quem amamos, para ser terno e eterno na doçura do gostar. E no balanço das horas tudo pode mudar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário